Tradições Sunitas em louvor ao Imam Ali


    Uma série de tradições encontradas em coleções sunitas que provam de forma inequívoca a proeminência e a superioridade do Imam Ali (as) sobre o resto dos companheiros e, por conseguinte, o seu direito a ocupar o cargo de Califa depois do Sagrado Profeta (s).

    Hadith al-Tashbih

    O Profeta Sagrado disse:

    “Quem desejar ver Adão em seu conhecimento, Noé em sua piedade, Abraão em sua indulgência, Moisés em sua força e Jesus em sua devoção e adoração, deve olhar para Ali ibn Abu Talib.”

    Referências Sunni:

    - al-Muhibb al-Tabari, em al Riyad al-Nadirah, ii, 218, 208;

    - al-Muttaqi, em Kanz al-Ummal, i, 226;

    - Ibn Abi al-Hadid, Sharh Nahj al Balaghah (Egito), x, 168;

    - al-Qunduzi, Yanabi al-Mawaddah (Instambul), p. 214, 312;

    - Ibn Asakir, Tarikh Dismashq, “Tarjumat al-Imam Ali ibn Abu Talib”, ii, 280;

    - Fakhr al-Razi, Tafsir, ii, 700;

    - Ibn al-Maghazili, Manaqib, 212;

    - Ibn al-Sabbagh al-Maliki, al-Fusul al-Muhimmah, 107.

    Hadith al-Noor

    O Profeta Sagrado disse:

    “Quatorze mil anos antes que Adão – que a paz esteja com ele – fosse criado, eu e Ali éramos uma luz na presença de Allah. Quando Allah criou Adão – que a paz esteja com ele – Ele o dividiu em duas partes. Eu sou uma das partes e Ali é a outra parte.”

    Referências Sunni:

    - al-Muhibb al-Tabari narrou essa tradição do Profeta na autoridade de Salman, em al-Riyad al-Nadirah, ii, 163;

    - Ahmad ibn Hanbal, em al-Fada’il;

    - Sibt ibn al-Jawzi, em Tadhkirat al-Akhawass, 46;

    - Abu Hatim Muhammad ibn Idris al-Razi, em Zayn al-Fata fi tafsir Surata Hal ata, MS;

    - Abd Allah ibn Ahmad ibn Hanbal, em Zawaid Manaqib Amir al-Muminin, MS;

    - Essa tradição também foi narrada por Ibn Mardawayh, Ibn Abd al-Barr, al-Khatib al-Baghdadi, Ibn al-Maghazali, al-Asimi, Shiruyah al-Daylami e outros de Imam Ali, Salman, Abu Dharr, Anas ibn Malik, Tabir ibn Abd Allah e outros companheiros.- Essa tradição também foi narrada por Ibn Mardawayh, Ibn Abd al-Barr, al-Khatib al-Baghdadi, Ibn al-Maghazali, al-Asimi, Shiruyah al-Daylami e outros de Imam Ali, Salman, Abu Dharr, Anas ibn Malik, Tabir ibn Abd Allah e outros companheiros.

    Hadith al-Rayah (Alam)

    Al-Bukhari menciona essa tradição em seu Sahih, “Kitab al-Jihad wa al-Siyar: Sahl ibn Sad disse: “O Profeta disse no dia da (vitória de) Khaybar:

    “Amanhã eu darei o estandarte para um homem, por cuja mão Allah conquistará (Khaybar). Ele ama Allah e Seu Mensageiro e Allah e Seu Mensageiro o amam.”

    O povo passou a noite curioso para saber quem iria recebê-lo e todo mundo estava esperançoso de obtê-lo. (No dia subseqüente) o Profeta declarou: “Onde está Ali?”. Foi lhe dito: “Ele está sofrendo uma dor nos olhos”. (Quando Ali chegou) o Profeta colocou sua saliva em seus olhos e orou por ele. Ali se recuperou como não houvesse sentido dor antes. Então, o Profeta deu o (estandarte) a ele...

    Outras referências Sunni:

    - Muslim, em seu Sahih, “Kitab al-Jihad wa al-Siyar” e “Kitab Tada’il al-Sahabah”;

    - al-Tirmidhi, em seu Sahih, i, 218;

    - Ibn Majah, em Sunan (Matba’at al-Faruqi, Delhi), “bab fada’il ashab Rasul Allah (s)”;

    - al-Hakim, em Mustadrak, iii, 38, 437;

    - Imam Ahmad ibn Hanbal, em Musnad, i, 99, 133, 185, 320, iv, 51, v, 353;

    - Abu Nu’aym, em Hilyat al ‘awliya’, i, 26, 62;

    - al-Nasa’i, em seu Khasair, 4, 5, 7, 8, 32;

    - al-Muttaqi, em Kanz al-Ummal, v, 283, 285, vi, 394, 395, 405;

    - al-Haythami, em Majma al-zawa’id, vi, 150, 151, ix, 115, 123, 124;

    - Ibn Hajar, Tahdhib al-Tahdhib, vii, 337, 339;

    - al-Muhibb al-Tabari, al-Ryad al-Nadirah, ii, 185, 187, 203;

    - al-Tabari, Tarikh, ii, 300;

    - Ibn Sa’d, al-Tabaqat, ii, parte um, 80;

    - Ibn Abd al-Barr, al-Istiab (Hyderabad, 1336), ii, 450;

    - al-Bayhaqi, em Sunan, vi, 362.

    Hadith Madinat al-Ilm

    O Profeta Sagrado disse:

    “Eu sou a cidade do conhecimento e Ali é sua porta; quem desejar entrar na cidade deve fazê-lo pela sua porta.”

    Referências Sunni:

    - al-Hakim, em seu Mustadrak, iii, 126, 127;

    - al-Khalib, em Tarikh Baghdad, ii, 348, 377; vii, 172; xi, 48, 49;

    - al-Muhibb al-Tabari, em al-Riyad al-Nadird, ii, 193;

    - al-Muttaqi, em Kanz al Ummal, vi, 152, 156, 401;

    - Ibn Hajar, em al-Sawa’iq al-Muhriqah, 73;

    - al-Manawi, em Kunuz al-Haqaiq, 43 e Fayd al-Qadr, iii, 46;

    - Ibn al-Athir, em Usd al-Ghabah, iv, 22 e Tahdhib al-Tahdhib (Hyderabad, 1325), vi, 152;

    - assim como em al-Uqayli, Ibn Adi e al-Tabarani.

    Hadith al-Tayr

    Al-Tirhidhi em seu Sahih relata que certa vez quando o Profeta sentou para comer uma ave que havia sido preparada para o seu jantar, ele orou para Allah:

    “Ó Deus nosso, traga o mais amado dentre as Suas criaturas, que ele coma essa ave comigo.” Então, Ali veio e o Profeta comeu junto com ele.

    Referências Sunni:

    - al-Hakim, em Mustadrak, iii, 130, 131;

    - Abu Nuaym, em Hilyah, vi, 339;

    - al-Khatib, em Tarikh Baghdad, ii, 171;

    - al-Muhibb al-Tabari, em al-Riyad al-Nadirah, ii, 160, 161 e Dhakha’ir al-Uqba, 61;

    - al-Haythami, em Majma al-Zawa’id, ix, 125, 126;

    - al-Muttaqi, em Kanz al-Ummal, iv, 406;- al-Muttaqi, em Kanz al-Ummal, iv, 406;

    Hadith al-Wilayah

    O Profeta Sagrado disse:

    “Certamente, eu e Ali somos inseparáveis e ele é o mestre (wali) de cada crente depois de mim.”

    Referências Sunni:

    - al-Tirmidhi, em seu Sahih, ii, 297;

    - Ahmad ibn Hanbal, em seu Musnad, iv, 437, v, 356;

    - Abu Dawud al-Tayalisi, em seu Musnad, iii, 111, xi, 360;

    - al-Haythami, Majma al-Zawaid, ix, 109, 127, 128, 199;

    - al-Khatib al-Baghdadi, Tarikh Baghdad, iv, 339;

    - al-Muhibb al-Tabari, al-Riyad al-Nadirah, ii, 203, 171;

    - al-Muttaqi al-Hindi, Kanz al-Ummal, vi, 154, 155, 396, 401;

    - Ibn al-Athir, em Usd al-Ghabah, v, 94;

    - Abu Nuaym, em Hilyat al-Awliya, vi, 294;

    - al-Nasa’i, Khasais, 19, 23;

    - Assim como Ibn Abi Shaybah, al-Tabari, al-Tabarani, al-Daylami, Ibn Mardawayh, Ibn al-Jawzi, al-Rafii e Ibn Hajar.- Assim como Ibn Abi Shaybah, al-Tabari, al-Tabarani, al-Daylami, Ibn Mardawayh, Ibn al-Jawzi, al-Rafii e Ibn Hajar.- Assim como Ibn Abi Shaybah, al-Tabari, al-Tabarani, al-Daylami, Ibn Mardawayh, Ibn al-Jawzi, al-Rafii e Ibn Hajar.

    Hadith al-Manzilah

    É relatado que o Profeta Sagrado disse ao Imam Ali:

    “Você não está contente em ter a posição (manzilah) em relação a mim como a que Aarão tinha em relação a Moisés?.”

    Referências Sunni:

    - al-Bukhari, em seu Sahih (al-Matba’at al-Khayriyyah, Egito, 1320) em “Kitab bad’al Khalq”, “Bab Manaqib Ali ibn Abu Talib” e “Bab Ghazwat Tabuk” em dois lugares registram essa tradição;

    - Muslim, em seu Sahih (Matba’at Bulaq, 1290), “Kitab Fada’il al-Sahabah”, através de 3 correntes;

    - al-Tirmidhi, em seu Sahih, ii, 301;

    - Ibn Majah, em seu Sunan, p12;

    - al-Hakim, em Mustadrak, ii, 337;

    - Imam Ahmad ibn Hanbal, em Musnad, i, 29, 170, 173, 174, 175, 177, 179, 182, 184, 185; 230, iii, 338, vi, 369;

    - al-Nasa’i, em Khasa’is, 4, 14, 15, 16, 17, 19, 32;

    - Ibn Sad, em al-Tabaqat (Leiden, 1322), iii, parte um, 14, 15;

    - Abu Nuaym, em Hilyat al-Awliya, vi, 345, vii, 194, 195, 196, viii, 307;

    - al-Khatib, em Tarikh Baghdad, i, 324, iii, 288, iv, 71, 204, 382, vii, 452, viii, 52, ix, 394, x, 43, xi, 432, xii, 323;

    - al-Tabari, em seu Tarikh al-Ummal wa al-Muluk (Matbaat al-Istiqamah, Cairo, 1357), ii, 368;

    - Ibn al-Athir, Usd al-Aghabah, v, 8;

    - al-Muttaqi al-Hindi, Kanz al-Ummal, iii, 154, v, 40, vi, 154, 188, 395, 402, 404, 405, viii, 215;

    - al-Haythami, Majma al-Zawa’id, ix, 109, 110, 111, 119;

    - al-Muhibb al-Tabari, em al-Riyad al-Nadirah, i, 13, ii, 162, 163, 164, 175, 195, 203 e Dhakha’ir al-Uqba, 120.- al-Muhibb al-Tabari, em al-Riyad al-Nadirah, i, 13, ii, 162, 163, 164, 175, 195, 203 e Dhakha’ir al-Uqba, 120.- al-Muhibb al-Tabari, em al-Riyad al-Nadirah, i, 13, ii, 162, 163, 164, 175, 195, 203 e Dhakha’ir al-Uqba, 120.

    Hadith al-Ghadeer

    O Profeta, enquanto retornava da sua última peregrinação, parou a caravana inteira em Ghadeer Khumm e fez o anúncio:

    “Aquele para quem eu sou mestre (maula), Ali também é seu mestre (maula).”

    Referência Sunni:

    - al-Hakim, em Mustadrak ala al-Sahihayn, vol. iii, pp. 109, 110;

    - al-Tirmidhi, em seu Sahih (Bulaq, 1292), ii, 298;

    - Sunan ibn Majah (Matba’at al-Faruqi, Delhi), em “Bab Fada’il ashab Rasul Allah (s)” de al-Bara’ ibn Azib e Sa’d ibn Abi Waqqas;

    - al-Hakim, em Mustadrak (Hyderabad, 1313) de Zayd ibn Arqam (iii, 109, 533), Sa’d ibn Malik (iii, 116), de Rifa’ah ibn Ayas al-Dabbi (iii, 371) e de Buraydah al-Aslami (iii, 110; ii, 129);

    - Imam Ahmad ibn Hanbal, em seu Musnad, al-Matbaat al Maymaniyyah, Egito, 1313, de al-Bara’ ibn Azib (iv, 281), Buraydah al-Aslami (v, 347, 350, 358), Zayd ibn Arqam (iv, 372, iv, 368, v, 307) ibn Abbas (i, 330), Abu al-Tufayl (iv, 270) e Ali ibn Abu Talib (as) (i, 84, 88, 118, 139, 152, v, 307, 366, 419);

    - Abu Nuaym al-Isfahani, em Hilyat al-Awliya (Egito: Matbaat al-Saddah, 1351), iv, 23, v, 26;

    Fakhr al-Din al-Razi, em al-Tafsir al-Kabir (Dar Tibbat al-Amirah) sobre o versículo 5:67;

    - al-Khatib al-Baghdadi, em Tarikh Baghdad (Matbaat al-Ittihad, Egito, primeira edição), ii, 169, 170, 172, 203 e Dhakhair al-Uqba (Egito 1356), 86;

    Ibn Hajar al-Asqalani, em al-Isabah (Calcutá, 1835 DC), i, parte1, 57, 319; iii, parte 1, 29; iv, parte 1, 14, 16; 61, 143, 169, 182; vi, 223, vii, parte 1, 78, 156;

    - Ibn Hajar Al-Asqalani, em al-Sawa’iq al-Muhriqah (al-Matba’at Maymaniyyah, Egito, 1312), pp. 25, 26;

    - Ali al-Muttaqi al-Hindi, em Kanz al-ummal (hyderabad, 1312), i, 48, vi, 83, 153, 154, 390, 397, 398, 399, 403, 405, 406, 407;

    - Ibn al-Athir, em Usd al-Ghabah (al-Mataba’at al-Wahbiyyah, Egito, 1285), i, 308, 367, 368, ii, 307, 233, iii, 92, 93, 321, 374, iv, 28, v, 205, 276, 383;

    - Ibn Qutaybah, em al-Imamah wa al-Siyasah (Matba’at al-Futuh al-Adabiyyah, 1331), 93;

    - al-Tahawi, em Mushkil al-Aathar (Hyderabad, 1333), ii, 307;

    - al-Manawi, em Fayd al-Qadir (Egito, 1356), vi, 218, 358 e Kunuz al-Haqa’iq (Instambul, 1285), 92;

    - al-Haythami Majma al-Zawa’id (Egito, 1352), vii, 17, ix, 103, 104, 105, 106, 107, 108, 119, 163, 164;

    - Ali ibn Sultan Muhammad al-Qari, em Mieqat al-mafatih (al Matba’at al-Maymaniyyah, Egito, 1309), v, 568.

    Hadith al-Munasabah

    O Profeta Sagrado disse:

    “Quem quer que conteste Ali em relação ao Califado é um incrédulo.”

    Referências Sunni:

    - Ibn al-Maghazalli, em seu Manaqib (Teerã), p. 45, de Abu Dharr al-Ghifari;

    - Allamah Ayni Hyderabadi, em Manaqib Sayyidina Ali (Alam Press, Charminar), p. 52, de al-Khatib al-Khwarazmi e Ibn al-Maghazilli.

    Hadith al-Muqatalah

    Al-Nasa’i, em Khasa’is, relata essa tradição na autoridade de Abu Said al-Khudri:

    Abu Said al-Khurdi relata: “Nós sentamos à espera do Mensageiro de Allah quando ele veio se encontrar conosco. A tira da sua sandália estava rasgada e ele a jogou para Ali. Então, ele disse: “Um homem dentre vós lutará contra as pessoas pela tawil (interpretação) do Alcorão da mesma maneira que eu lutei pela sua tanzil (revelação)”. Nisso, Abu Bakr disse: “Esse sou eu?” O Profeta disse: “Não”. Então, Umar perguntou-lhe: Esse sou eu?” “Não” disse o Profeta. “Esse é o reparador da sandália (Ali)”.

    Referências Sunni:

    - al-Hakim, em Mustadrak, iii, 122;

    - Ahmad bin Hanbal, em seu Musnad, iii, 33, 82;

    - Abu Nuaym, em Hilyat al-Awliya, i, 67;

    - Ibn al-Athir, em Usd al-Ghabah, iii, 282, iv, 33;

    - Ibn Hajar, al-Isabah, i, 22, iv, 152;

    - Ibn Abd al-Barr, al-Isti’ab, ii, 423;

    - al-Haythami, Majma al-Zawa’id, v, 186;

    - al-Muttaqi, Kanz al-Ummal, vi, 155, 390, 391.

    O Profeta Sagrado disse:

    “Que a misericórdia de Allah esteja sobre Ali. Ó Allah nosso, mantenhas sempre a Haqq (verdade, retidão, justiça) com Ali”.

    Referências Sunni:

    - Sahih al-Tirmidhi, ii, 298;

    - al-Hakim, em Mustadrak, iii, 119, 124;

    - al-Khatib, em Ta’rikh Baghdad, xiv, 321;

    - al-Haythami, em Majma al-zawa’id, vii, 134, 235, 243;

    - al-Muttaqi, em Kanz al-Ummal, vi, 157.

    Hadith al-Safinah

    O Profeta Sagrado disse:

    “A parábola da minha Ahlul Bait é como o da Arca de Noé, quem embarca nela é salvo e quem se mantém longe dela é afogado.”

    Referências Sunni:

    - al-Hakim, em seu Mustadrak, ii, 343, iii, 150;

    - Abu Nuaym, em Hilyat al-Awliya, iv, 306;

    - al-Khatib, em Tarikh Baghdad, xii, 19;

    - al-Suyuti, em al-Durr al-Manthur (al-Matba’at al-Maymaniyyah, Egito, 1314) sobre o versículo 2:58;

    - al-Muhibb al-Tabari, em Dhakha’ir al-Uqba, 20; al-Manawi, em Kunuz al-Haqa’iq, 132.- al-Muhibb al-Tabari, em Dhakha’ir al-Uqba, 20; al-Manawi, em Kunuz al-Haqa’iq, 132.

    Portuguese, International
    Old url: 
    http://www.al-islam.org/pt/tradicoes-sunitas-imam-ali/

    Person Tags:

    More from the same author